» » » A Historia de Jipe



Ele se chamava Afrânio Batista de Queiroz, mas ninguém o conhecia por esse nome. Sua história, porém, é conhecida por todos em Itabuna e cidades da região, assim como o apelido que carregou por toda a vida: “Jipe”.

Conta a história – ou lenda – que Afrânio enlouqueceu depois que seu pai lhe prometeu um jipe e não cumpriu a promessa. Depois disso, ele passou a correr por toda a cidade e até pelas estradas, emplacado e buzinando como se fosse o próprio veículo. Seus olhos eram faróis e os pés eram pneus.

Há muitos anos, Jipe estava “na garagem”, ou melhor, recolhido ao Abrigo São Francisco de Assis, em Itabuna. Há 15 dias, foi internado no Hospital de Base, onde faleceu (ele preferiria “bateu o motor”) nesta manhã de quarta-feira, 31 de março de 2010 aos 92 anos. Era um modelo 1918.


A matéria foi publicada pelo blog Pimenta  em 2010, nossa reportagem está replicando porque muitas pessoas que moram na Costa do Descobrimento, conhece a historia de Jipe, mais ainda não tinha conhecimento da sua morte.

Fonte Pimenta blog
Foto R2cpress


«
Nex
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

5 comentários:

  1. Tenho 37 anos. Morei um tempo em Mascote. Meu pai me falava desse jipe quando eu era criança. Descanse em paz, velho Jipe.

    ResponderExcluir
  2. eu mim lembro que minha mae mim dizia cuidado com jipe,eu tinha doze anos na época,viveu muito esse jipe 92 pena q sofreu muito,boa viagem jipe,

    ResponderExcluir
  3. muito legal essa materia. revivi minha infancia em Itabuna mesmo com sua loucura era muito respeitado por todos deve está no céu,n tinha maldade.

    ResponderExcluir
  4. Conheci Jipe. Uma pessoa muito simpática, apesar de suas condições emocionais.Não lembro de nenhum histórico de agressão e "todos" os motoristas lhe davam preferencial.Fez parte de minha infância e da vida de muita gente ao longo dos anos e dos milhares de km percorridos. Seus bips são inesquecíveis aos meus ouvidos.É um marco nas cidades próximas à Itabuna e Ilhéus!

    ResponderExcluir
  5. Essa história pode ser vista como um alerta aos pais, que querendo exigir desempenho dos filhos, prometem coisas que têm a certeza que não irão cumprir. O pai de jipe poderia ter cumprido, mas preferiu enrolar o filho. Quando pensou no que fez, era tarde demais.Pense nisso!

    ResponderExcluir

Comentários com palavras de baixo Calão ou que ofenda a moral de alguêm não serão liberados.