» » » » » Ex-promotor de Justiça de Porto Seguro é suspenso por agredir juíza em Caravelas

O promotor de Justiça Dioneles Leone Santana Filho será suspenso por 30 dias das atividades do Ministério Público da Bahia (MP-BA) por agredir, com chutes e pontapés, a juíza Nêmora de Lima Jannsen dos Santos, da comarca de Caravelas, no sul do estado. O caso aconteceu em fevereiro de 2012 (clique aqui e saiba mais).


O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) decidiu aplicar a pena de suspensão ao promotor por violar artigos da Lei Orgânica do Ministério Público. A decisão, proferida no último dia 13, ocorreu no bojo de uma revisão de processo disciplinar instaurado pela Corregedoria Nacional do Ministério Público.

 O relator do caso, conselheiro Valter Shuenquener, votou pela suspensão por 30 dias e foi acompanhado pela maioria do Plenário. Para o relator, é incontroverso que o promotor de Justiça atacou uma juíza durante festa de Carnaval em Porto Seguro, fato que repercutiu negativamente na imagem do Ministério Público.

 Para o conselheiro, as provas demonstram que o agressor atingiu a vítima na cabeça e a golpeou com um chute, tendo sido impedido, de imediato, pelo companheiro da magistrada, com quem passou a travar luta corporal. Valter Shuenquener, afirmou que “a violação de dever funcional por membro do Ministério Público durante festa carnavalesca permite sua responsabilização disciplinar, dado o prejuízo à imagem da instituição a que pertence”.

 O conselheiro complementou dizendo que “a falta funcional apresentou gravidade ímpar porque, ao agredir uma mulher e prejudicar a relação institucional do MP com o Poder Judiciário, o requerido adotou comportamento incompatível com os padrões morais exigidos dos membros do MP”. 

A penalidade não foi aplicada no máximo previsto, pois o relator considerou que Dioneles possui antecedentes favoráveis, e o episódio foi singular na sua carreira profissional. Em agosto de 2012, o promotor aceitou pagar R$ 1 mil em cestas básicas durante uma audiência no MP-BA, para encerrar a transação penal por agressão contra a juíza. O pagamento das cestas básicas não havia posto fim ao processo administrativo disciplinar movido contra Dioneles. Nêmora Janssen moveu uma ação com pedido de reparação por danos morais contra o promotor, que ainda tramita na 6ª Vara Cível e Comercial de Salvador.

Por; Bahianoticias

«
Nex
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

1 comentários:

  1. E UM ABSURDO SO ISSO QUE EXEMPLO; DEVERIA PEGAR UMA CADEIA PARA APRENDER A NÃO BATER EM MULHER ELE DEVERIA DAR EXEMPLOS E NÃO SER MAL EXEMPLO; TINHA QUE PEGAR UMA CADEIA, MAS NA BAHIA E NORMAL TUDO ACABA EM MOQUECA.

    ResponderExcluir

Comentários com palavras de baixo Calão ou que ofenda a moral de alguêm não serão liberados.