Jânio Natal zomba da Justiça e do povo, renuncia para fazer o irmão prefeito e ainda manipula os vereadores, impondo sessão da posse à meia-noite


Quem votou e elegeu Jânio Natal (PTN) para prefeito de Belmonte, em outubro do ano passado, acreditando nos discursos de palanque e na propaganda eleitoral, levou de contrapeso o irmão Janival, vice na chapa, que já havia perdido três eleições seguidas. Depois de eleito prefeito Jânio renunciou para continuar deputado estadual e o irmão virou prefeito no maior golpe eleitoral da região, abrindo brecha jurídica para novas tentativas familiares do gênero. 
A Justiça Eleitoral nem o Ministério Público se manifestaram, nem mesmo quando Jânio marcou a sessão solene da Câmara de Vereadores – o que é mais um absurdo, afinal os poderes deveriam ser independentes – para a meia-noite do dia 31 ou para 00:01 do dia 1º de janeiro (como queiram), enviando convite via whatsapp para sua rede de contatos, como se o feito fosse mais uma inovação do seu estilo de fazer política.  
Por bahia40graus

, ,