Novo prefeito decreta situação de emergência em Itabela, no sul da BA

Francisquetto disse que encontrou problemas graves na Saúde e Educação.
Decreto permite compras, obras e contratação de serviços sem licitação.


O novo prefeito do município de Itabela, no extremo sul da Bahia, decretou situação de emergência após assumir a gestão e afirmar que recebeu a administração pública com graves problemas, principalmente nas áreas da Saúde e Educação. O decreto permite que, em um período de três meses, a gestão faça compras, obras e contrate de serviços sem licitação.


Luciano Francisquetto, que assumiu a prefeitura no dia 1º de janeiro deste ano, disse que encontrou na unidade pastas vazias e computadores sem informações.

Ele diz que não foram encontrados relatórios ou documentos sobre a gestão anterior, inclusive nas secretarias. "Esse decreto pode durar até 90 dias, mas também pode acabar antes", destaca Francisquetto.

Dentro da prefeitura, a reportagem encontrou salas com mofo e infiltrações nas paredes, fiação exposta e piso danificado. No Hospital Municipal Frei Ricardo, também foram identificadas infiltrações por todos os lados, macas e camas enferrujadas. Em uma das enfermarias, o forro do teto cedeu e os vidros foram quebrados por vândalos.

Na sala de parto do hospital mais sinais do descaso. O equipamento de foco usado pelos obstetras no momento da cirurgia está amarrado com um pedaço de tecido para evitar que o refletor caia sobre as pacientes. O berço aquecido, usado para bebês prematuros, não pode ser utilizado porque o controle de temperatura não está funcionando.

Na policlínica, a sala de esterilização dos instrumentos odontológicos foi interditada porque o teto está cedendo. No quintal, o mato alto e uma caixa d'água descoberta preocupam funcionários. Três tiveram doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti. "Eu acredito que seja por causa desse descaso que a gente encontrou o setor", defende a diretora da unidade, Arline Santos.Do lado de fora, a caixa de gordura transbordou e o esgoto corre a céu aberto. Nos fundos da unidade, uma fossa aberta foi encontrada. A ambulância da prefeitura está parada há vários meses. O transporte dos pacientes está sendo feito em outra ambulância, alugada depois da assinatura do decreto. "A prioridade nesse momento é adequar a estrutura física, equipamentos e valorização de profissional, porque não tínhamos", afirma a diretora geral da unidade, Liliane Sossai.

Além dos problemas na saúde, a Escola Augusto Costa, no bairro Bandeirantes, foi interditada pela vigilância sanitária por causa de problemas no banheiro e no sistema de esgoto. "Foi feito todo esse levantamento das escolas no geral. A gente vai tentar com esse decreto priorizar as que mais necessitam", afirma a secretaria de Educação, Christiany Grassi.

A reportagem tentou contato com o ex-prefeito de Itabela, Júnior Dapé, mas não conseguiu. O ex-coordenador do gabinete, Jorge Leones, diz que a transição foi feita até o dia 31 de dezembro e que o gabinete do prefeito foi entregue sem pendências. Ele disse ainda que não pode responder pelas outras secretarias.

G1

, ,