Jovem que teve a testa tatuada depõe hoje


A juíza Daniela de Carvalho Duarte, da 5ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo, deve iniciar, às 14h30 desta terça-feira (12), a audiência de instrução para julgar a dupla que tatuou a testa de adolescente de 17 anos, em 9 de junho deste ano. O tatuador Maycon Wesley Carvalho dos Reis, de 27 anos, e o vizinho dele, Ronildo Moreira de Araújo, de 29, foram presos em flagrante e são réus no processo.
Os dois foram levados para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Tremembé, no interior paulista, e foram intimados a comparecer à audiência.
A juíza disse que se trata de um caso de "gravidade em abstrato do crime de lesão corporal alinha-se às circunstâncias concretas da infração, que revelam nesta fase de cognição sumária maior grau de periculosidade social dos acusados."
Ela afirmou, no agendamento da audiência, que os réus tiveram "conduta que causou lesão corporal no adolescente foi perpetrada, segundo afirmaram os próprios réus, por vingança. Buscavam punição. E é plausível afirmar certo prazer no sofrimento causado ao adolescente."
Baseada na denúncia do Ministério Público, a juíza disse que "os agentes demonstraram 'conduta desajustada socialmente' e personalidade 'violenta, agressiva e vingativa'."
Ainda segundo a juíza, "a conduta imputada e admitida pelos agentes denota personalidade e conduta social não consoante à moralidade média". Daniela disse que os réus "não demonstraram qualquer arrependimento, sendo plausível a propensão para a repetição de novas infrações de mesma natureza". Por essa razão, ela manteve os dois presos, pois "os réus se vestiram de verdadeiros Juízes da causa, julgando-o, sentenciando-o e punindo-o, sem que tivesse qualquer direito à defesa".

Tatuador

Para Rosilene Carvalho dos Reis, mãe do tatuador Maycon, o filho está arrependido por ter tatuado a testa do adolescente. "Ele é um bom menino. Ele simplesmente, em uma atitude de nervosismo, agiu de maneira errada. Agiu por impulso, no calor da emoção."

Tratamento

adolescente foi internado no dia 13 de junho na clínica particular de Mairiporã. Ele deverá ficar até o fim deste ano para se reabilitar da dependência química. De acordo com a Grand House, a pedido da proprietária da clínica que cuida da remoção, o nome da empresa não está sendo divulgado.
A mãe dele, Vania Rocha, disse que o filho não "é bicho" e que ele "está vendo a realidade" durante o tratamento em clínica de recuperação.

Tatuagem

O adolescente já passou por duas sessões para a retirada da tatuagem da testa. Para ser concluído, processo prevê o mínimo de dez sessões ao longo de um ano.

Por G1

,