Médico baiano morre após sofrer mal súbito em passeio no deserto do Atacama



Um médico baiano de 49 anos morreu durante passeio para escalar um vulcão, no Deserto do Atacama, no Chile. De acordo com o Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb), André Luis Andrade de Oliveira teve um mau súbito e morreu no local, na última segunda-feira (13).



O Cremeb lamentou a morte do médico, que se graduou na Universidade Federal da Bahia. André Luis era cardiologista e estava com a mulher, que também é cardiologista, quando se sentiu mal. O casal estava com grupo de turistas que subia o vulcão Láscar, na região de Antofagasta, localizada a cerca de 5 mil metros acima do mar.


Ainda de acordo com o Cremeb, o médico André Luis atuava em emergências e UTI's em Salvador. “No trabalho em Emergências e UTIs era admirado pela disposição e tranquilidade com que lidava com pacientes ansiosos ou com doenças graves. Na vida social, sempre uma pessoa alegre e que irradiava otimismo. Com uma vitalidade transbordante, aproveitava cada momento, com a leveza de quem não tinha medo da morte”, disse, em nota, o conselheiro e vice-presidente do Cremeb, Julio Braga, amigo e companheiro de trabalho de André Oliveira.


O cardilogista trabalhava no Hospital Português há 21 anos. Em nota, a unidade de saúde lamentou a morte do médico. "Dr. André Luis, brilhantemente, integrava a equipe do Serviço de Emergência do Hospital Português com competência e humanização diferenciadas", diz a nota.


O cardiologista também atuava no Centro de Referência em Cardiologia da capital, administrado pela Santa Casa da Bahia, que também lamentou, em nota, o ocorrido com o médico. "Aos familiares, amigos, colegas e pacientes do dedicado e talentoso profissional, a Santa Casa da Bahia expressa sua solidariedade", diz a nota.


O cardiologista deixa mulher e dois filhos, um adolecente e um jovem. Nesta quinta-feira (16), o corpo de André Luis permanecia no Chile, no aguardo de repatriação. Ainda não há data para o sepultamento dele.

Por G1

, ,