Advogado nega envolvimento de cliente na morte de PM

O advogado de Maurilan Mendes de Oliveira, suspeito de ter participado do assassinato do PM Denisson Rodrigues, durante uma tentativa de assalto a uma agência dos Correios em São José da Vitória, no sul da Bahia, esteve na Redação do RADAR 64 e negou as acusações ao seu cliente.

Segundo ele, “ao saber que era apontado como suspeito, Maurilan se apresentou à Delegacia da Polícia Federal, em Porto Seguro, quando recebeu voz de prisão por outro crime”.
Ele apresentou à reportagem cópia do mandado de prisão preventiva decretado pelo titular da 1ª Vara do Crime da comarca de Porto Seguro, André Marcelo Strogenski, no dia 25 de maio passado.
Foto: Arquivo
Medo de retaliação fez Maurilan procurar PF; Ele tem mandado de prisão expedido por roubo de veiculos
A prisão se baseia em crime de trânsito, tipificado no artigo 311 da lei 9.503/97 (trafegar em velocidade incompatível com a segurança em locais de grande movimentação ou concentração de pessoas, gerando perigo de danos).
Maurilan se apresentou, ao lado do advogado, depois que as imagens dele começaram a aparecer em alguns sites como suspeito do crime. O advogado disse que o cliente “juntou provas em vídeo que mostram que ele estava em outro lugar por ocasião do fato, ou seja, no dia 21 de maio, por volta das 10h”.

Os vídeos mostram Maurilan Mendes, na manhã de 21 de maio, dentro de um supermercado, no distrito de Monte Pascoal, em Itabela, trocando moedas. Em outro ela estava em uma loja de peças para motocicletas. Ele também alega que na hora no crime já estava em um posto de gasolina na cidade de Itamaraju.

PEDIDO DE PRISÃO
Foto: RADAR 64
Maurilan Mendes de Oliveira tem mandado de prisão preventiva solicitado pelo delegado do distrito de Arraial d’Ajuda (Porto Seguro), Sinézio Vieira. Ele é suspeito do roubo de uma motocicleta e de um Fiat Palio Weekend de cor prata, placa JLE-1136, licenciado em Santa Cruz Cabrália.

Este táxi, roubado no distrito de Caraíva, também em Porto Seguro, teria sido utilizado na tentativa de assalto aos Correios em São José da Vitória. O veículo foi abandonado pelos bandidos, após o crime, em uma propriedade rural a cerca de oito quilômetros de São José da Vitória.

A placa, de acordo com informações do Sinesp, do Ministério da Justiça, pertence a outro veículo. A Redação do RADAR 64 tentou contato com a Polícia Federal, mas não obteve resposta.

fonte radar64