Delegada pede prisão de acusado de matar ex namorada em Arraial Dajuda

O suspeito de matar a ex-namorada Dominique Miranda Viana, de 14 anos, com um punhal, no domingo (2), em Arraial D’Ajuda, distrito de Porto Seguro, tentou reconciliação com a vítima antes do crime. Joelson Borges dos Santos está foragido até esta quarta-feira (5).

A delegada responsável pelo caso, Teronite Bezerra, titular da Delegacia da Mulher (Deam) disse que cerca de 60 minutos antes de matá-la, Joelson tentou uma reconciliação.

"[Joelson] Perguntou se ela não iria voltar para ele. Ela falou: 'Não vou voltar'. Ele saiu abruptamente e voltou quase que uma hora depois. Quando retornou, enfiou o punhal, retirou. Subiu na moto e sumiu", diz a delegada.

Em depoimento, a família da garota disse que o relacionamento entre os dois durou três meses e ele estava inconformado com o fim da relação.

Testemunhas disseram que Dominique estava na bilheteria de uma casa de show, no bairro Santiago, conversando com algumas amigas, quando foi morta pelo ex-namorado. O corpo da vítima foi enterrado na manhã de terça-feira (4).


A polícia acredita que o crime tenha sido premeditado, pois Joelson perseguia a garota há alguns dias e ainda usou a moto do irmão dela para cometer o crime e fugir. Joelson já foi preso no Conjunto Penal de Eunápolis por tráfico de drogas e liberado há três meses.


Se for preso novamente, Joelson, que tem o apelido de Galego, vai responder pelo crime de feminicídio - termo que caracteriza o homicídio onde a vítima é morta por ser mulher.

Adolescente foi morta por ex-namorado que não aceitava o fim da relação (Foto: Reprodução/Facebook)
“Já pedimos a prisão preventiva e ele está sendo procurado. Penso que com a divulgação da foto alguém queira denunciar. Faz uma denúncia anônima, liga para o 100 ou 180 e denuncia. E nós vamos atrás”, afirma a delegada Teronite Bezerra.

Por G1/Ba
Compartilhar no Google Plus

Redator Obaianao

0 comentários:

Postar um comentário

Comentários com palavras de baixo Calão ou que ofenda a moral de alguêm não serão liberados.