Anuncio topo site

ultimas

6/recent/ticker-posts

;



VEJA VIDEO- Seção da Câmara polêmica para elieção de novo presidente



 A eleição para a Câmara de Vereadores de Porto Seguro, que ocorreu nesta quinta-feira, (05/05) de forma antecipada, para o biênio 2023/2024, computou a vitória do vereador e líder do governo, Dilmo Santiago, por 10 X 7, contudo, o vereador Robinson Vinhas que também concorria ao cargo, pediu a impugnação dos votos de Nilsão, Dr. Ânderson, Dilmo (candidato à presidente), Saulo e da atual presidente, Ariana Prates, por terem declarado seus votos no ato da votação.



Segundo o vereador Robinson Vinhas, candidato à presidência na chapa em oposição a Dilmo, o regimento interno da Casa (RI) no seu artigo 15, parágrafo único, determina que a eleição para a Mesa Diretora deve acontecer pelo voto secreto e não aberto.

Ainda, segundo o vereador, antes da votação, o pedido para que a votação fosse aberta, formulado por vereadores que acompanharam Dilmo, foi rejeitado pelo plenário que, de acordo o vereador, precisaria de dois terços dos votos da Casa para sua aprovação; o que não aconteceu.

A chapa apresentada pelo vereador e vice-presidente da Casa, Robinson Vinhas, e que surpreendeu a todos pelo tempo para ser articulada, foi formada por: Presidente: Robinson Vinhas; Vice-presidente: Lucas Barreto; 1º Secretário: Van Van e 2º Secretário: Eduardo Tocha.

Especula-se que, a chapa, provavelmente, teve os apoios de Nido, Bolinha e Vinícius Parracho que não confirmam os votos, por serem secretos.

Na outra frente, a chapa formada por: Presidente: Dilmo Santiago; Vice-presidente: Roló; 1º Secretário Reinaldo Farofa e 2º Secretário: Nilsão, além dos votos declarados de Dr. Ânderson, Nilsão, Dilmo, Saulo da Distribuidora e Ariana, cujos votos foram solicitados a impugnação, pode-se confirmar os votos em apoio a Dilmo, dos vereadores Roló, Charles Sena Reinaldo Farofa, Lia Arigatô e Pepo da Van.

O vereador Robinson Vinhas, que se sentiu prejudicado e pediu o registro das impugnações, em ata da sessão, afirmou à nossa reportagem que o caso será levado à justiça para que seja avaliado.

A reportagem do Jojô Notícias tentou contato com o vereador eleito, Dilmo Santiago, mas não teve sucesso.


Por Jojontocias